0

Dia das Mães!

Todo dia é dia das Mães e de ser mãe, esta frase pode ser clichê, mas é real!

Porque qual foi o dia em que uma mãe deixou de ser mãe, ela pode não exercer a maternidade, mas gerou ou adotou, então é mãe.

A partir do momento que se tem sob sua responsabilidade um ser que depende de você, tudo muda!

Podemos até reservar um dia para fazer coisas que resgatam a nossa individualidade, mas muitas vezes somos pegas pelos pensamentos maternos: será que já comeu, dormiu, está agasalhado, entre outras preocupações!

Acredito que ser mãe e exercer a maternidade, que é o vínculo entre mãe e filho, sejam coisas distintas, pois existem mulheres que dão à luz e que não se vinculam ao filho, não vive a maternidade, e pode até doar o filho. E na outra ponta, aquela pessoa que adota a criança e vive plenamente a maternidade.

Para mulheres que geraram e não vivenciaram a maternidade, pode ser chamada de genitora.

Exercer a maternidade nem sempre é fácil e tranquilo para todas as mulheres, tem mãe que também é pai, precisa trabalhar o dia inteiro pra suprir as necessidades da família, ou que não dão conta das exigências e as demandas de cuidados e preocupações com os filho e acabam abrindo mão da sua individualidade e vivendo para os filhos e este é um dos desafios da mulher contemporânea, o de se resgatar como mulher e não somente como mãe.

Para que os filhos sejam felizes as mães também precisam estar bem, isso reflete no bem estar dos filhos e da família.

Atualmente, a relação materna está se tornando diferente e aquele padrão mulher é mãe e homem é pai, está se rompendo.

No mundo globalizado as crianças já estão se adaptando as diferentes constelações familiares, isso acaba sendo mais difícil para os adultos do que para as crianças que já convivem, por exemplo o convívio com 2 mães e ou homens transexuais que exercem a maternidade.

E ainda acredita-se que está data é meramente comercial, porque de fato o dia da mãe é todo dia, não adianta levar uma relação ruim com a mãe, mas no dia comprar aquele bom presente.

Seja verdadeiro, todas as relações tem altos e baixos e a de mãe e filho não é diferente, neste sentido, não fique tão preso ao material, faça algo que fique na lembrança e no coração, porque material fica e que levamos desta vida, são os momentos felizes.

Isso acaba sendo também um bom motivo para que o seu filho perceba o real motivo para o Dia das Mães!

Seja feliz!