O estranho no ninho

Sempre tive vontade de ter uma família grande, acho que pelo fato de ser filha única e não ter os irmãos pra compartilhar momentos, a companhia e até as brigas!

Me casei e nunca imaginei que teria filhos tão rápido…em 7 anos, 3 filhos.

Enfim, a minha primeira filha nasceu, e foi tudo novidade!

De repente, e exatamente 2 anos depois nasce o do meio e depois de 4 anos, nasce o terceiro.

Aí começam as adaptações no nosso núcleo familiar, e a dinâmica dos irmãos também sofre com a chegada do novo integrante.

A primogênita ficou numa boa com a chegada do bebê, mas o do meio, mudou em todos os aspectos.

Muito ciúmes, rebeldia, inquietude, agressividade, fazia tudo pra chamar a minha atenção e ainda dizia que eu só gostava daquele bebê e que não dava mais atenção pra ele, no fundo ele não estava conseguindo lidar com a chegada do irmão e a falta que eu estava fazendo, pois ele tinha a minha atenção à disposição e naquele momento, o tempo da mamãe era dividido em outros afazeres.

Me desdobrava, nos momentos que o bebê dormia ficava com eles, mas muitas vezes pra ele aquele tempo não era suficiente.

E ele chorava e chora até hoje, a adaptação ainda está acontecendo, hoje as coisas melhoraram, mudei rotina, o meu posicionamento com as crianças, ele já brinca com o irmão, tem um pouco de dificuldade para entender que o irmão tem 1 ano e meio e ele 5 vezes mais, além do tamanho, mas nada fora do previsto e que não possamos contornar.

O reforço em dizer que o amo e da importância dele para minha vida é diário, pois percebo que a necessidade dele é maior, vou me desdobrando neste jornada de amor, mas sem deixar de lado a conversa, as demonstrações de carinho e minhas limitações para que eles entendam como a vida em família funciona e que hoje nós somos uma grande família.

Criar filhos é uma tarefa difícil e que exige concentração, disposição e reflexão, pois lidar com vidas, ainda mais sabendo que tu iras interferir na construção deste ser humano, requer muito mais atenção e cuidado.

E vamos seguir, sempre com otimismo e amor.

Um super abraço.

Lembre-se você é luz e até o próximo post!

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “O estranho no ninho

  1. Parabéns pelas colocações, certamente facilitará o entendimento de muitas mães que tem mais filhos. Lendo seu texto, voltei aí passado pois, somos em 3 irmãos e minha irmã do meio (na infância) usou muiiito a paciência da minha mãe… Que eles se adaptem e que a convivência seja cada dia melhor. Acredite, contudo, eu não saberia viver sem os meus irmãos, hoje em dia somos um pelo outro e estamos sempre juntos, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, como em um casamento todos os dias das nossas vidas e espero de coração que o mesmo aconteça com vocês!!! Um beijo grande e parabéns pela linda família.

    Curtido por 1 pessoa

    • Tati, obrigada pelo retorno!
      O objetivo do blog é exatamente este, contribuir com informação e lidar com certas situações, que fazem e farão a diferença na construção do ser humano.
      Em conversa com a sua irmã, de fato, percebi a união entre vocês 3, um dos meus desafios é este, promover a união!
      Fico feliz por você ter lido e gostado!
      Super abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s